Ciência ou experiência? Imagine uma pessoa que por um motivo qualquer se submeteu a um tratamento médico por um longo período. O que você diria se esse paciente começasse a “tratar” outras pessoas com base no seu tratamento? Qual seria a sua visão diante da “prescrição” dessa pessoa que por um longo período precisou se tratar?

Pois é exatamente isso que acontece no meio fitness, com os famosos gurus passando não somente “dicas”, como também treinos e dietas das mais variadas. Não se pode negar o conhecimento empírico de alguém que tenha experiência na área que for, mas isso não dá a ela o direito de exercer uma função em que não esteja devidamente habilitada e credenciada.

Se somente a experiência é importante, porque um prédio para ser construído precisa de um engenheiro? Pode-se então chamar o “Seu Zé”, o tiozinho gente boa que faz tudo certinho e cobra barato. Ele até fez o puxadinho lá em casa e deu tudo certo.

Ainda assim não podemos negar o conhecimento e experiência do Seu Zé, que há 20 anos atua como pedreiro e é “baum” no que faz, tendo sua importância na hora de realizar seu trabalho e de fato levantar um prédio, elaborado por um engenheiro, que teve todo o estudo de anos para se formar e seguir com os preceitos legais para ter o seu registro nos órgãos competentes.

No meio fitness é exatamente isso que acontece, com os “experts” em tudo que é área exercendo o que não lhes é de direito. Estudar não é necessário, bastando exibir um corpo sarado nas redes sociais. Por que estudar e investir um baita tempo e dinheiro em conhecimento se posso dizer “claro que manjo, olha aqui o meu shape”?

Tem também a turma defensora do “quem muito estuda não tem moral porque não pratica”. Como será então que foi criado aquele exercício poderoso para glúteo que algumas adoram tirar foto executando e com aquela “roupitcha” que nunca deixa de citar o nome e fazer a devida marcação para não perder a permuta? Por acaso acha que esse exercício surgiu do nada ou acredita que alguém teve que estudar antes para ter a sua devida comprovação? Se liga, né!

Claro que existem profissionais que mesmo exercendo a profissão dentro da legalidade não são qualificados, seja porque não se dedicam, porque não gostam ou seja lá o que for, assim como existem maus médicos, advogados e quaisquer outros profissionais.

Os órgãos fiscalizadores existem e tomar uma atitude perante os que estão legalmente errados é trabalho deles, mas no mercado fitness só existe essa confusão devido as pessoas que de alguma forma procuram por esses “profissionais” e pagam pelos seus “serviços”.

Acredito fortemente no conhecimento empírico e muitas comprovações atuais já eram usadas como certas antigamente, mas aliar isso a ciência e trabalhar dentro da legalidade faz um profissional se destacar e estar a frente dos demais.

Estudar é obrigatório quando se quer reconhecimento. A experiência é importante e não deve ser ignorada. A lei deve ser cumprida, independente da sua opinião.

A você que procura um profissional de qualidade para alcançar seus objetivos, digo que seu corpo é sua primeira moradia. Se não cuidar bem dele vai morar onde? Preste atenção e escolha bem a quem vai permitir cuidar da sua saúde.